REALIDADE AUMENTADA


A tecnologia da Realidade Aumentada continuará abrindo novos horizontes e vale ficar atento.

Até há algum tempo o virtual fi cava confi nado na telinha da televisão: primeiro em preto e branco, depois colorido e agora tridimensional. Os anúncios começaram a se misturar com as arquibancadas nos campos de futebol e aos desfi les de escola de samba. O virtual também foi para o computador, criou mundos paralelos (secondlife.com) e agora se mistura com a realidade. Quem não se lembra das pessoas parando carros nas ruas para “pegar“ Pokemons? Para discutir um pouco como essas tecnologias podem afetar a Logística e a Supply Chain, temos que entender o que é Realidade Aumentada (AR, Augmented Reality) e no que difere da Realidade Virtual (VR). A Realidade Aumentada é construída a partir de uma combinação de imagens reais, com elementos virtuais (som, vídeo, gráficos ou dados GPS) criados por computador. Na maior parte das vezes, a AR é oferecida em tempo real e é utilizada tendo o ambiente físico como pano de fundo. Já a Realidade Virtual utiliza-se de elementos retirados da realidade física e cria um ambiente que substitui o mundo real por uma simulação do mesmo em ambiente totalmente virtual. O conceito que está por trás dessas tecnologias é a realidade mediada por computador, em que uma visão da realidade é modifi cada (diminuída, aumentada ou recriada) por um computador. Com a ajuda da tecnologia AR (por exemplo, adicionando visão de computador e reconhecimento de objetos), as informações sobre o mundo real envolvem o usuário e se tornam interativas e manipuláveis digitalmente. Para viabilizar a aplicação desses conceitos, um conjunto de acessórios e ambientes vem sendo desenvolvido. Em termos de acessórios já são bem comuns os wearables (tecnologia para ser vestida), encontrados disponíveis em forma de relógios, óculos, luvas, anéis, palmilhas, fones e pulseiras. Destaque para os chamados óculos inteligentes (Microsoft HoloLens e o recém-lançado Monitorless da Samsung), que, além de serem úteis para a Realidade Virtual, permitem operar na Realidade Aumentada. Na ponta dos lançamentos estão chegando as lentes de contato que permitirão as mesmas funções. Aguarde para breve. Cabe destacar que um problema que tem inviabilizado a disseminação no uso desses óculos tem sido o desconforto físico que os usuários têm após o seu uso contínuo, semelhante ao que algumas pessoas têm nos cinemas 3D. Além dos acessórios, existem alterações que podem ser feitas no ambiente para incorporar elementos de Realidade Aumentada, por exemplo, espelhos que simulam cortes de cabelo e tipos de maquiagem em quem se visualiza neles. Já estamos bastante acostumados com as salas de vídeoconferência, mas agora estão chegando os centros cirúrgicos com participação de médicos remotamente, e os espaços de armazenagem para treinamento e experimentação de novas operações equipados com Realidade Aumentada. Destaque para os vidros dianteiros de automóveis e caminhões que podem incorporar informações de funcionamento do veículo, da rota e da programação de entregas prevista. Desta forma, unindo softwares e hardwares adequados, começam a surgir aplicações bem interessantes, como o provador de roupas virtual, o supermercado em que você escolhe os produtos sem sair de casa e pode inclusive apertá-los, a escola que só existe no mundo virtual, com professores e alunos reais. E se você gosta de video game, deve estar muito feliz, pois é nesse segmento que estão ocorrendo as maiores inovações. Na Logística e na Supply Chain Management, os usos estão chegando já há algum tempo. Nas embalagens, na paletização e estufagem de contêineres, o uso potencial é grande. Em 2015, a Revista Logística do IMAM já apresentava um aplicativo desenvolvido pela ID Logistics, em parceria com a Zebra Technologies e a Robocortex, para paletização utilizando Realidade Aumentada. A tecnologia oferecia um recurso visual em 3D em que era possível prever por vários ângulos a colocação de uma encomenda em um palete, otimizando os processos, simplifi cando e aumentando a produtividade. Dentre outros usos da Realidade Aumentada, destacam-se: pick by vision para facilitar a localização de produtos em prateleiras, o planejamento de armazéns e centros de distribuição feito de forma interativa e otimizada a partir de imagens reais tratadas por softwares de otimização de uso do espaço, a verificação de mercadorias e de pedidos já embarcados, coletas e entregas com visualização dos locais na rua por óculos especiais ou sinalizados no vidro do veículo, apoio ao atendimento pós-venda e manutenção durante o reparo de equipamentos, em que o técnico pode visualizar e receber orientações quanto aos procedimentos a serem adotados e à identifi cação espacial do defeito na máquina quebrada. Nessa tecnologia ainda tem muita aposta, mas pouco uso efetivo. Porém, vale a pena fi car atento. Para aprofundar os conceitos e conhecer as experiências e empresas citadas no texto, visite o site do LALT – www. lalt.fec.unicamp.br/imam

fonte: https://www.imam.com.br/logistica/edicoes/323.pdf

#tecnologia

49 visualizações

GENERAL DOCK CONSULTORIA E LOGÍSTICA LTDA.

JUCESP - SEFAZ - ARMAZÉNS GERAIS - AUDITORIA - SISTEMAS WMS (SaaS)- AUDITORIAS

Rua Visconde de Inhomerim, 570 - WorkSpace - Moóca - São Paulo-SP CEP 03120-001

 (11) 3588-2752 (11) 98731-0060 - comercial@generaldock.com.br