• gdock

KAIZEN TECNOLÓGICO

Kaizen e/ou Melhoria Contínua, expressões que hoje já integram mais de 500 mil cargos e/ou descrições profissionais em todo o Brasil, segundo o LinkedIn. Além disso, milhões de outros profissionais já aplicam a melhoria contínua, pois a mesma se configura como um conhecimento e habilidade básica dos profissionais de sucesso.



Imagine agora no início dos anos 80... o Kaizen chegava ao Brasil por profissionais percursores das Técnicas Japonesas de Gestão da Manufatura. Por exemplo, nas dezenas de Missões ao Japão, Reinaldo Moura e José Maurício Banzato (IMAM), a partir de 1985 começaram a disseminar os conceitos e métodos Kaizen nas mais diferentes organizações no Brasil.

· Kaizen na manufatura;

· Kaizen nas áreas administrativas;

· Kaizen no agronegócio;

· Gemba Kaizen;

· Kaizen “Blitz”;

· Semana Kaizen;

· Kaizen de 30 dias;

· Kaizen Estratégico, Tático e Operacional...

Enfim... fazia tanto sentido que, há 35 anos, a disseminação da Melhoria Contínua (kaizen) era apenas uma questão de tempo, como foi.

Desafios Kaizen

Empresas e profissionais que nunca tinham nem ouvido a palavra “Kaizen” tiveram que, passo a passo, vencer inúmeros desafios. Este processo acontecia em todo o mundo e, neste sentido, contou com inúmeros profissionais de referência mundial, sendo o principal deles, o professor Masaaki Imai (Kaizen Institute).

Ao longo dos anos, apesar de vários desafios terem sido vencidos, muitos permanecem até hoje, entre os quais vale destacar:

1. A Inércia da Rotina sem Kaizen: Fazer algo como se estivesse "fora" da rotina operacional (ex.: uma pequena melhoria) para muitos, não é algo comum e, por vezes, são até atividades malvistas por aqueles que entendem que empregados são pagos apenas para executar sua rotina e nada mais;

2. Ambientes que não Estimulam: Políticas corporativas, procedimentos, locais de trabalho, recursos, liderança e tudo aquilo que pode contribuir com um ambiente estimulante de melhoria contínua, em muitas situações, simplesmente, não existe;

3. Vaidade dos “Donos” das Ideias: Hoje, líderes mais conscientes em relação aos princípios e essência da Melhoria Contínua não apresentam mais ideias. Preferem influenciar pessoas e fazer com que os próprios membros do time concebam as mesmas e recebam o mérito no lugar deles;

4. Kaizen sem Metodologia: Imaginar que a melhoria contínua já faz parte da natureza humana e que, apenas por meio da conscientização, as pessoas começam a implementar ideias sem qualquer metodologia é um grande erro. As metodologias contribuem muito para colocar as ideias em ação;

5. Kaizen apenas como Projeto: Empresas que promovem o Kaizen apenas por meio da estratégia de projetos pontuais (ex.: Semana Kaizen, Kaizen “Blitz” etc.), realizados por times de profissionais especialistas, podem desvirtuar uma das essências do Kaizen (ex.: envolvimento de TODOS);

6. Isso não é Kaizen!: Não existe nada mais desestimulante, na implementação de uma cultura voltada para Melhoria Contínua, para profissionais que acabam de implementar algo que acreditam fortemente ser um Kaizen, escutar da liderança ou mesmo de colegas: Isso não é Kaizen!;

7. Kaizen ou “Gambiarra”?: A falta de recursos (físicos, criativos, tecnológicos etc.) para os profissionais implementarem Kaizens pode levá-los, de fato, às “melhorias” de má qualidade ("gambiarras"), que comprometem a segurança, etc; Se acontece, invista nas pessoas para que elas invistam no Kaizen do “Kaizen”;

E aí? Já se deparou com estes 7 (sete) ou outros desafios na implementação da melhoria contínua (Kaizen)? Ah! Se puder contribuir, conte nos comentários...

Kaizen Tecnológico

Entre inúmeros desafios, o Kaizen Tecnológico é apenas mais um... apesar de já estar sendo implementado há anos, não é algo tão simples para empresas e profissionais que não têm acompanhado a aceleração tecnológica, promovida principalmente pela indústria 4.0, a partir de 2011, nas mais diferentes áreas de negócios.

Mas, apesar de nossas dificuldades (ex.: escala, economia, política etc.), a viabilidade técnica e economicamente pode se dar por aqui também.

Ainda são poucas as empresas e profissionais no Brasil que investem respectivamente no “change management” e no “mindset” tecnológico, mantendo-se atualizados nestes últimos anos. Mesmo assim, são estas poucas empresas que integram os “nichos de excelência” que fazem acontecer e conseguem investir não apenas em inovações, mas em melhorias tecnológicas que, pela sua "simplicidade", costumo chamar de “Kaizens Tecnológicos”.

Kaizen Tecnológico, portanto, são iniciativas de melhoria contínua apoiadas nas diferentes tecnologias que avançam continuamente e de maneira acelerada, em diferentes categorias.

Nosso time de projetos, que atua basicamente na Supply Chain e na Excelência Operacional, classifica as mesmas em 5 (cinco) grandes grupos. Apenas para exemplificar, segue uma pequena aplicação de Kaizen Tecnológico por categoria:

1. Qualidade de Informação e Data Science: uma simples concepção ou mesmo um ajuste de “dashboard” feito, por exemplo, em Power BI ou qualquer outra solução, pode melhorar a qualidade da informação para tomada de decisão;

2. Conectividade e Tempo de Resposta: uma simples tecnologia de sensores, por exemplo, uma utilizada há tempos em restaurantes (tecnologia para chamar os “garçons”), pode ser útil na melhoria de um processo de abastecimento de linha;

3. Sistemas de Apoio à decisão: uma simples análise da parametrização das regras de picking de um WMS (Sistema de Gerenciamento de Armazém) e uma pequena alteração da mesma, pode melhorar a produtividade operacional;

4. Sistemas Autônomos: um simples robô RPA (Robotic Process Automation) pode ser tão simples, barato e com um ganho tão significativo que é impressionante imaginar que muitas empresas ainda não conhecem tal tecnologia;

Kaizen Tecnológico VS Inovação Tecnológica

Apesar dos milhares de Kaizens Tecnológicos, advinha o que mais encanta os profissionais quando se divulga tecnologia na mídias/ redes sociais: Kaizen ou Inovação?

Sim! As inovações acabam encantando mais a maioria... são curtidas, comentadas, compartilhadas e consequentemente muito disseminadas com as mais diversas expressões incentivadoras: “o futuro chegou!”, “TOP!”, “Fantástico!”

Hoje, mesmo que a inovação ainda esteja em fase de testes e/ou aplicações preliminares, é muito comum se encantar com as mesmas. Por exemplo, o que acha de robôs escalando estruturas de estocagem? Essa inovação, muito legal por sinal, até Elon Musk comentou!

E os Kaizens?

Qual seria, por exemplo, a empolgação de Elon Musk em divulgar e disseminar a alteração de uma classificação de giro (ABC) para uma simples classificação de popularidade (PQR) como parâmetro de endereçamento de um WMS, considerando que a melhoria no sistema vai impactar em uma redução de 5% a 8% nas movimentações verticais de um armazém, reduzindo e/ou até eliminando a necessidade de um robô?

Tenho acompanhado isso nos últimos 20 anos e apesar de muitos valorizarem a Melhoria Contínua, Kaizen, são as ideias inovadoras que são, na maioria das vezes, merecedoras do “WOW”!

Mesmo este artigo... eu me esforço sempre para que artigos de KAIZEN recebam um “WOW” na mesma proporção que meus artigos de soluções inovadoras recebem.

Valorize o Kaizen Tecnológico

Parabéns!

Se você chegou até aqui, já deve ter compreendido a mensagem e o grande potencial que se esconde por trás dos milhares de Kaizens Tecnológicos.

Ah! Sabe o que é a imagem que ilustra o artigo? Já fez algum kaizen com ele? Se sim, comente aí!

Grato desde já pela atenção... Vamos em frente!

Eduardo Banzato

Diretor do IMAM

fonte: https://pt.linkedin.com/pulse/kaizen-tecnol%C3%B3gico-eduardo-banzato?trk=pulse-article_more-articles_related-content-card


0 visualização0 comentário